Big Data fatura US$ 1,16 bilhão no Brasil; saiba como usar bem a tecnologia

País é o mais maduro na América Latina em aplicações da tecnologia, com 46,8% do mercado. Para o uso eficaz é essencial capacitar a equipe e saber escolher o software mais indicado

Impulsionado pela transformação digital, o mercado de Big Data e Analytics (BDA) movimentou US$ 2,48 bilhões na América Latina em 2016.

 

É o que aponta pesquisa feita pela consultoria Frost & Sullivan. Segundo o estudo, a perspectiva é que atinja US$ 7,41 bilhões em 2022, sendo o Brasil o país mais maduro em aplicações da tecnologia, com 46,8% do mercado da região e receita de US$ 1,16 bilhão em 2016.


Além de as empresas estarem cada vez mais familiarizadas com os conceitos e benefícios da adoção das soluções, a consultoria avalia que modelos de negócios como Internet das Coisas (IoT) e cloud computing estão transformando as companhias e criando novas formas de coletar e melhorar os processos de armazenamento de dados. As tecnologias permitem, por meio de softwares, analisar e interpretar um grande volume de informações coletadas, identificando comportamentos de consumo e tendências.


Veja, a seguir, como criar uma estratégia efetiva para usar as tecnologias:

  1. Identifique o problema O primeiro passo é detectar o problema da empresa e descobrir quais ferramentas são ideais para resolvê-lo. “Big Data não é a solução para todos as questões. Se a empresa focar primeiro na tecnologia, pode acabar usando-o da maneira errada. A ferramenta pode, por exemplo, ajudar a companhia a conhecer melhor o perfil de seu cliente a partir de dados, mas não resolve um problema de gestão mal feita”, explica Celso Poderoso, coordenador do MBA em Big Data da Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap).

  2. Crie um projeto Uma vez definido o problema e o uso de Big Data, é preciso construir um projeto e definir metas. Depois disso, vincular pessoas e ferramentas adequadas para atender essa demanda. “Ao utilizar uma tecnologia nova, é necessário traçar uma estratégia e ter um planejamento bem estruturado em torno disso”, diz Poderoso. Isso inclui escolher o software mais indicado para o processamento de dados e as pessoas capacitadas para que o projeto flua bem.

  3. Conte com uma consultoria Com inúmeras opções de produtos para realizar a análise de dados, o apoio de uma consultoria especializada é fundamental para direcionar e escolher o mais indicado para a empresa. “Sem vínculo com qualquer software, ela pode mostrar quais opções se encaixam no projeto e as vantagens e desvantagens de cada uma”, afirma Poderoso.

  4. Capacite a equipe Depois de decidir o melhor software, é preciso capacitar a equipe, que inclui os profissionais de infraestrutura (que viabilizem a tecnologia), e os responsáveis pelo processamento e análises dos dados. “Escolher o treinamento certo, que envolva as particularidades do software escolhido e uma visão geral sobre Big Data e Analytics é fundamental. Uma pós-graduação na área voltada à gestão pode ser uma boa opção para profissionais que lideram a equipe”, conclui.

Fonte: IT Forum 365 / DXC Technology

#analytics #bigdata #IoT

0 views0 comments

Recent Posts

See All

Em sua 4ª edição, o OPEN DAY 2018 se consolidou na agenda de eventos de business intelligence e tecnologia no Rio de Janeiro. Promovido pela IesBrazil, em parceria com a TIBCO, o evento reuniu cerca d

O OPEN DAY 2018, que será realizado na próxima semana, no dia 18 de outubro, contará com palestras de consultores da TIBCO e cases de sucesso do Spotfire em empresas como Petrobras, Klabin e Cielo M4U

Mais uma vez o trabalho desenvolvido pela Klabin em ambiente TIBCO  será apresentado ao público em 18 de Outubro próximo, dessa vez com o Título “Arquitetura de Self Service BI utilizando soluções TIB